07 setembro 2010

Equilíbrios e equilibristas

Apenas um exercício.
Suponhamos que só havia um réu e uma condenação.
Imaginemos que esse réu, condenado, era Carlos Silvino, o "Bibi".
Será que o "Serviço Público de Televisão" continuaria a insistir no seu papel moderador na sociedade portuguesa?

6 comentários:

trepadeira disse...

Será que há mesmo serviço público na televisão?
Cordial abraço,
mário

Paulo disse...

mário, partilho a dúvida... já coloquei as devidas aspas. Abraço

relogio.de.corda disse...

Tirem lá a palavra "serviço" e a palavra "público" e fica apenas televisão que é o que temos e de má qualidade. O resto é "tanga"...e esta telenovela Casa Pia ainda vai dar muito que falar.

Austeriana disse...

Partilho essa "dúvida" metódica há já algum tempo e mantenho-a. Curiosamente... ou talvez não..., ouvi ontem na RTP anunciarem que iam entrevistar Carlos Silvino.

Paulo disse...

relogio.de.corda A chamada televisão pública é não só um sorvedouro do dinheiro dos contribuintes, como se comporta, em termos de conteúdos informativos, como um bastião do jornalismo de sarjeta.

Austeriana, já agora reinventar "o Juiz decide" e utilizar a televisão para "julgamentos" mediáticos. Tem audiências garantidas... e adeptos (o Major Valentim Loureiro pediu muito...)
Abraço

Ana Paula Sena disse...

A meu ver, não insistiria.