05 dezembro 2010

A magia dos dias

  

...Vivíamos então em Esposende numa pequena casa de praia que comprámos à senhoria, uma senhora não sei se dinamarquesa. Foram quatro anos em que escrevi muito e conheci dias bons com o mundo e comigo mesma. Minha filha estava no colégio interna, meu marido advogava no Porto e saía de tarde, voltando à noite, ficando eu e os gatos numa espécie de encantamento, a ouvir o suspiro do mar. Vinha à porta o carrinho da fruta, e a mulher que vendia dizia: " não sei como se dá nesta pasmaceira". Para ela toda a boa fruta era do Douro, inclusive as bananas. Não passava ninguém na rua, os tamarindos vergavam com o vento. A peixeira Cravelha ensinou-me a tirar a pele às azevias...

Agustina Bessa-Luis, O Livro de Agustina Bressa-Luis, Guerra e Paz, 2007
Música: Erik Satie, Gnossienne nº5 (Reinbert De Leeuw)
Foto: C.

5 comentários:

Anónimo disse...

Grato por mais uma magnífica sugestão de leitura.

E parabéns à C., que já nos habituou à qualidade das suas fotos.

Um abraço
João Morais

relogio.de.corda disse...

"Ouvir o suspiro do mar" ou ficar numa espécie de encantamento tendo por companhia os gatos, pode até ser uma "pasmaceira" mas é uma pasmaceira que me agrada.
Uma boa semana!

Ana Paula Sena disse...

Esplêndida foto de C.!

Uma excelente sugestão de leitura - aprecio imenso a Agustina Bessa-Luís.

Abraços.

Paulo disse...

João Morais, Agustina escreve duma forma soberba. Este livro tem momentos fantásticos. Boa leitura.

relogio,é a doce pasmaceira que nos reconcilia com o mundo. Obrigado.

Ana Paula, obrigado (s). Beijinho

Anónimo disse...

maravilha...