03 abril 2011

Celebrar um amigo



INSTANTES

Que o instante seja água,
gota de sol declinada nas mãos.

Que o brilho se desfaça em nó solto
num castelo de frutos, no longe sôfrego.

Todas as árvores são a minha solidão,
O meu duelo de passeios,
A grande sombra de um céu quebrado a meio,

Eu passo pelo sonho no declive,
pelos pássaros perdidos augurando água,
todos vêm aos meus ombros pousar, são de vento,
Desfazem-se das ramadas,
colhem a finitude do tempo.

Eu sonho muito além, onde o sangue pulsa ainda o coração do sol
E as minhas mãos de solidão defesa, estão lavadas.

José Ribeiro Marto

3 comentários:

disse...

Caro Amigo/Amig@ blogueiro/blogueira,

Livros existem para aventurarem-se de mão em mão, enchendo olhos e mentes, traspassando mundos vários, continentes distantes, até mesmo galáxias perdidas deste infinito Universo, sem respeitar nem mesmo as fronteiras do senhor Tempo.


É com base neste espírito que Lisboa acaba de ganhar um novo Alfarrábio on-line. É o www.livrilusao.com, que vende livros usados e novos.

No entanto, não queremos ser apenas um alfarrábio a mais. Para além de comprarmos, vendermos e trocarmos livros, buscamos também interagir com todos que queiram trocar ideias connosco sobre livros, artes em geral e tudo o mais relacionado com Cultura.

Convidamos-te a visitar a nossa página e, se achar interssante, ajudar a divulgá-la, seja por meio de seu blog, seja repassando esta mensagem para a sua lista de emails.

Vamos dar continuidade à aventura dos livros!

Obrigada,



Giulia Pizzignacco,

Livrilusão

Ana Paula Sena disse...

Mas que bonito! Só mesmo algo assim para conseguir animar-me.

Muito obrigada, querida C. :)

e parabéns ao poeta!

Beijinhos para uma amiga.

Marta disse...

lindo, lindo!

bjo querida C.