06 agosto 2009

Hiroshima


Alfred Eisenstaedt

6 de Agosto de 1945 08,45h.
Neste dia, a esta hora, o avião B29 "Enola Gay", pilotado por Paul Warfield Tibbets Jr., lançou a primeira bomba atómica sobre um alvo humano.
Em menos de um segundo os prédios desapareceram juntamente com a vegetação, transformando Hiroshima num campo deserto. Num raio de 2 km, a partir do centro da explosão, desapareceu tudo. Uma onda de calor imenso, emitia raios térmicos, com a radiação ultravioleta. Para fora do raio de 2 km o calor fez desaparecer a roupa e a pele de quase todas as vítimas. Inúmeros incêndios foram, depois, causados pelo calor da explosão. Vidros e metal derreteram como lava.
Uma chuva preta, oleosa e pesada, caiu ao longo do dia. Essa chuva continha grande quantidade de poeira radioactiva, contaminando áreas mais distantes do centro. Peixes morreram em lagos e rios.
Até hoje são sentidos pelas vítimas e seus descendentes os efeitos deste crime. Um crime contra a Humanidade.

6 comentários:

marteodora disse...

Quando eu era miúda, o meu pai (creio não estar a ser atraiçoada pela memória) levou-me a ver um filme cujo título era, precisamente, "Enola Gay". Era, com certeza, uma versão bem americanizada da história.
Mais tarde, era adolescente, mas também não consigo precisar quando, li "Hiroshima".
As descrições do terror, presentes no livro, nunca mais me largaram.
Tal como refere, as imagens da roupa e da pele desaparecidas, das grades das janelas em brasa, do "inverno nuclear" que se seguiu e das sequelas, de todo o género, que, nos dias de hoje ainda se podem sentir.
Crime perpetrado contra a humanidade, como diz e bem. Eu acrescentaria que foi uma monstruosidade.
Não devemos esquecer que, três dias depois, já conhecidos os efeitos da primeira bomba, a 9 de Agosto, uma bomba ainda mais potente foi largada sobre Nagasaki.
Não tenho a certeza se alguma vez os americanos pediram desculpa por isto, mas sei, pela história da história, que esses pedidos e esses reconhecimentos levam o seu tempo.

TERESA SANTOS disse...

Hiroshima é uma das nossas vergonhas, (entre muitas) no que respeita a atentados contra a Humanidade.
E será que os mesmos - em maior ou menor grau - não se estão a repetir?

TERESA SANTOS disse...

Só mais uma coisa.
Vou ficar por aqui, seguir este espaço que só agora descobri e muito me agradou.

Até já.

Marta disse...

Muito bem assinalado! Mas de si, já não esperamos menos :)

Paulo disse...

marteodora, a maior parte da literatura e cinematografia sobre Hiroshima escamoreia o facto de a II Guerra ter tido o seu fim na Europa em Maio de 1945 e as bombas sobre Hiroshima e Nagasaki( como você lembrou) terem sido lançadas em Agosto. Foi, ao que parece, um primeiro passo naquilo que veio a ser chamado de Guerra Fria. Ou seja estas bombas tiveram como missão essencial marcar uma posição na corrida às armas nucleares que punham já frente a frente os EEUU e a URSS. Este dado piora o horror, naturalmente. Porque a Guerra estaria já ganha e a rendição do Japão não dependia desta barbaridade. É só mais um elemento, sobre o crime.
Teresa Santos, obrigado po ter vindo e ter decidido voltar. Estimulante para nós essa decisão.
Marta, bem haja. Sempre.

Austeriana disse...

Sim, crimes muito "ignorados"... Parabéns pelo post.