24 agosto 2009

a ocasião

"Talvez já tenham ficado enlevados com alguém numa festa, no escritório ou na praia e, mais tarde, perguntado se não terão apenas sido levados pela excitação do momento. O vosso desejo de amar e ser amados, alterou a vossa visão - transformando um sapo num príncipe ou princesa. Confundiram o dançarino com a dança.
O amor pode desencadear-se quando menos se espera. Por puro acaso. O par perfeito pode estar sentado ao vosso lado numa festa sem que vocês reparem nele ou nela, sobretudo se estiverem ocupados (... ) envolvidos noutra relação, ou emocionalmente ocupados por qualquer outro motivo.
Mas se uma pessoa acabou de entrar para a faculdade, ou se se mudou para outra cidade sozinha, se acabou de recuperar de um caso de amor não satisfatório( ... ) se se sente só ou sofre por estar a atravessar uma experiência difícil, ou dispõe de muito tempo livre, essa pessoa está pronta para se apaixonar. De facto, as pessoas que estão emocionalmente excitadas, por alegria, tristeza, ansiedade, medo, curiosidade (...) têm maior predisposição para (...) paixão.
Suspeito que assim aconteça porque todos os estados mentais agitados estão associados a mecanismos de activação no cérebro, bem como a níveis elevados das hormonas de tensão. Ambos os sistemas elevam os níveis de dopamina - pondo assim em acção a química da paixão amorosa. "
Helen Fisher in Porque Amamos

A chamada química do amor (ou a biologia das paixões) é um tema apaixonante. Propício à reflexão, quando o estio e o outono já se vão misturando ...

4 comentários:

marteodora disse...

A tal química que mistura hormonas, feromonas, despeitos, respeitos, satisfações, insatisfações e pré-disposições; por vezes, álcool a mais; lágrimas, sorrisos, gargalhadas, bons restaurantes, bons passeios e bons hotéis, boas prendas (jóias!!!) e, já agora, bom sexo.
TUDO ISTO PORQUê?
Porque o AMOR e a PAIXÃO e o sexo e o prazer e o flirt e demais estados de espírito relacionados, nos fazem FELIZES!

E sim, talvez o Verão seja mesmo mais propício a esses estados de alma.

clara disse...

Mas existe par perfeito?
Se calhar existe.

Marta disse...

Gostei muito, Paulo!

Gosto especialmente da autora.

abraço

Paulo disse...

marteodora, todos procuramos ser felizes, sim, embora eu ache que há estados diferentes de ser "feliz" nos vários momentos que enunciou. Clara, par perfeito, perfeito perfeito... acho que não. Há construções em que se procura o equilíbrio, o bem estar, o amor. Marta, partilhamos esta gosto pela Helen Ficher. É "fixe":):):)