30 dezembro 2009

Dança comigo, Buenos Aires



O tango serpenteia pelas ruas de Buenos Aires. Espreita às esquinas, malandro e provável, sensual e decadente. De Gardel a Piazzola, está no andar das mulheres e nos gestos marialvas dos mancebos ou dos séniores dépassés e nostálgicos.
Na cidade que acolhe Dakar, que espelha modernidade, cultura e memória, tem índio, muita França e Espanha, obviamente.
Está-se bem. Grandes árvores protegem o nosso espanto, edifícios magníficos contam histórias de prata. Há problemas que se pressentem: a miséria apanha-nos de repente, bate-nos na cara.
Muito calor, chuva reparadora e apressada, a vivacidade nos passos de doze milhões de almas tangueiras, sensuais e laboriosas. Cidade promissora, queres dançar comigo? O teu tango é rápido e lento, um abraço que envolve e aproxima. É alegre, nostálgico e trágico. Um par com individualidade e compromisso, rebeldia e excesso, passeia e avança, rodopia, surpreende, expulsa e segura.
Universo total e restrito. Amor e morte, paixão, vida, tristeza e alegria.

Fotos de C.

3 comentários:

Marta disse...

soube-me tão bem ler :) ai, ai...

contem mais, contem tudo ;)

FELIZ 2010.
feliz TUDO.

António disse...

Cidade linda não é?
A grande burguesia nos meados/fins do séc.XIX deixou a Espanha de lado e recriou uma outra França superluxuosa em terras de La Plata.A "nossa" espanhola Carlota Joaquina bem quis envolver Portugal na guerra de La Plata, favorecendo a sua terra mãe.
Mas o que é interessante é que ficou nos argentinos um sentimento de superioridade que irrita qualquer outro sul americano, principalmente os brasileiros.
E os argentinos a passar férias no Brasil fazem lembrar os ingleses no Algarve, para pior. Julgam-se donos de tudo. Mas os brasileiros lá vão suportando tudo com muita paciência. O que vale é o tango, ritmo, cíume, faca na liga, suor, sangue, amor; parece que vão pela esquerda, mas volteiam pela direita numa sintonia espectacular de corpos em movimento. Dá inveja dançar assim, parece tão fácil...
Terra maravilhosa que deu um Santo boliviano chamado "Che".

clara disse...

Marta, está tudo na bela cidade, à sua espera. Mas prepare-se, a viagem é dura, muitas horas de voo.
António, belo texto, obrigada. De facto, o luxo, a riqueza, o sumptuoso está inscrito no nome desse fantástico país: argent, dinheiro, prata. A rivalidade entre o Brasil e Argentina não traz nada de bom. São dois dos maiores países do mundo. Pena tenho é do Paraguai que conheci bem em tempos idos. Está ali encaixado entre gigantes, ninguém se lembra.
Países cheios de sensualidade. Da cor, dos cheiros, do ritmo.Muito belo.