31 dezembro 2009

La Boca, um lugar que não agradava a Borges

Conta Adolfo Bioy Casares: «Não sei porquê, mas Borges tinha um desprezo por La Boca. Durante anos eu não fui a esse bairro por causa de Borges. E uma vez fui e achei que era lindíssimo» (Adolfo Bioy Casares, em entrevista com Carlos Aberto Zito).

A manhã quente de Verão conduz-nos por este bairro rente ao estádio do Boca Júniores (La Bombonera), verdadeira catedral que tem como Santo maior o que aqui nasceu e dá pelo nome de Diego Maradona.
O bairro La Boca foi fundado por gente que para aqui emigrava e que, chegados por mar, olhavam a cidade através do desemboque (La Boca) do pequeno rio que a percorre e por onde chegariam a terra.
Sítio de genoveses que nos idos oitocentos fundaram aqui uma república independente da Argentina dos terratenientes, mas ligada à sua Itália reunificada.
As construções antigas, de madeira e chapa, foram sendo pintadas com restos de tinta fornecida (quantas vezes sem o saberem) pelos estaleiros de reparação de navios, criando uma original e fascinante composição de corres garridas. Visível por todo o bairro predomina na Rua Caminito.

A ligação óbvia ao tango produz uma emoção especial a quem chega e é essa mistura mágica de dançarinos de rua com malabaristas, pintores, artesãos, actores e actrizes que nos interpela, seduz e transporta.
Fotografia: C.

4 comentários:

Joaquim Lucas disse...

Ainda me lembro da minha visita ao Caminito e a La Boca. A noite acabou em esplendor com um inolvidável espectáculo de Tango numa casa chamada Tango Mio. Com Carlos Gardel sempre em pano de fundo e o erotismo do amor a aquecer-nos o corpo e a alma. Fabulosa Buenos Aires.

Cumprimentos.

Austeriana disse...

Ah! Que ambiente excelente para entrar num novo ano e a imagem é uma ternura!
Votos de um Ano Novo Excelente!
E uma Entrada de Ano em terras de Gardel augura algo de muito bom :)))!
Um grande abraço a ambos.

Ps. Há um desafio no «B-c» para o «Marcas», quando e se quiserem!

Marta disse...

pois seduz,
pois interpela,
pois transporta.


ai, ai, Argentina!

e obrigada por partilharem connosco:)

Paulo disse...

Joaquim Lucas, visitámos Caminito várias vezes, mas sempre durante o dia. Dá para imaginar a noite e o efeito da noite. Fabulosa, sim.
Austeriana,abraço de Feliz Ano Novo também. Obrigados pela cumplicidade e, claro que reponderemos ao desafio...é só desfazer as malas e recuperar do jet lag :):):)