05 dezembro 2009

E como seria... se uma casa sonhasse?



Parece que o conceito do 555 KUBIK project se baseou exactamente na ideia de responder a esta pergunta. No intuito de romper com as rígidas tradições da arquitectura alemã, a Urbanscreen, sob a direcção artística de Daniel Rossa, criou uma incrível projecção sobre a fachada do Kunsthalle de Hamburgo, na Alemanha. Conjugando a constituição do interior do próprio museu com gráficos e movimentos projectados em 3D, sobre a fachada, foi criado um efeito de transparência e reflexibilidade que descreve o espaço e nos leva a percepcioná-lo por meio do próprio edifício. Como se desvelasse a alma. Ou falasse do que sonha enquanto dorme e ninguém o vê.
Um must da capacidade criativa.

3 comentários:

Paulo disse...

Fantástico. Por minutos, a casa parece estar viva, falando de si...ou sonhando à vista de quem passa. Parabéns pelo post.

Austeriana disse...

Belíssimo. Que ideia fabulosa!

clara disse...

Também me encantou, fabuloso.
No entanto, não gostaria que as casas fossem assim. Como explicar isto?
É que, do que eu gosto mais nas casas é saber que esperam por nós, silenciosas, permanentes, intactas. É isso que me dá tranquilidade, que tudo muda-as pessoas, os afectos, as ilusões, desilusões. No entanto, as casas permanecem, austeras, maternais, constantes.