11 setembro 2009

Bem vindo, Jorge de Sena


...Uma pequenina luz bruxuleante e muda
como a exactidão como a firmeza
como a justiça. Apenas como elas.
Mas brilha. Não na distância. Aqui
no meio de nós.
Brilha.

6 comentários:

Marta disse...

sim, brilha. :)

gosto muito de o ler. muitíssimo. e não é de agora.

Paulo disse...

Estamos de parabéns. Obrigado, Marta.

marteodora disse...

Felicidade
"A felicidade sentava-se
todos os dias ao peitoril da janela.

Tinha feições de menino inconsolável.
Um menino impúbere
ainda sem amor para ninguém,
gostando apenas de demorar as mãos
ou de roçar lentamente o cabelo
pelas faces humanas.

E, como menino que era,
achava um grande mistério
no seu próprio nome"

tenho para com este, em particular, um carinho especial.

Vou lembrar os seus 90 anos lá no meu trabalho (também de alguma manufactura), junto de alunos e professores.

Gostei da oportuna referência.

Ana Paula disse...

Estamos de parabéns, sim :)

E continua a brilhar, agora, de certo modo, mais perto de nós :)

Gisela Rosa disse...

Linda homenagem, brilham as palavras de Sena.

E obrigada por suas palavras tão gentis. Já me haviam falado do seu blog. Também me encantei. Com essa marca de água, tão comum na minha profissão...


Com apreço e sentindo...

Gisela

Paulo disse...

marteodora, poema lindo, deve ser bom poder trabalhar na companhia de gente como Sena.
Ana Paula, era uma enorme injustiça J.Sena não estar em Portugal. Aliás, idêntica às perseguições e deconsiderações que teve em vida.
Gisela, obrigados somos nós... e, de novo, parabéns pelo seu blog.