30 setembro 2009

"Notas & Neurónios" ou o poder da escala pentatónica



O que nos faz acreditar que a linguagem musical está "internalizada" e pode ser antecipada por qualquer um de nós.
Bobby McFerrin assegura que, onde quer que ele faça este show, as pessoas produzem os mesmos sons. Conclusão: todos nascemos a saber música. O problema é que só uma minoria é estimulada a desenvolver essa capacidade artística.
Bobby McFerrin  é conhecido pela sua enorme extensão vocal (até quatro oitavas), pela habilidade de usar a voz para criar diversos efeitos e ainda por ser capaz de entoar o canto difónico (produção de intervalos harmónicos e acordes a partir de uma só voz), prática muito comum em certos países asiáticos.

Ver mais de Bobby M. aqui

5 comentários:

Austeriana disse...

Genial.
EXCELENTE post!

Paulo disse...

Fabuloso

RAA disse...

Esplêndido também o vosso blogue, C.
Fiquei freguês :|

JOSÉ RIBEIRO MARTO disse...

Isto è excelente , vim aqui ganhar a minha tarde ...
Abraço
_______ JRMARTO

C. disse...

Bem-vindo RAA. O apreço é mútuo. Já tive oportunidade de lho dizer.

Nós é que agradecemos - as visitas, as palavras e os fregueses.
Estamos quase a ter uma Junta de Freguesia, hein?! A nós, aqui, dava-nos muito jeito mudar de presidente da junta.
:-)
:-)

Abraço a todos