24 março 2009

Dias de Estudante e a "Pós Modernidade"

"Comunicado
Lisboa, 26 de Março de 1962

Colega: Efectuou-se anteontem o maior atentado de sempre contra a autonomia da Universidade e a dignidade dos professores e alunos. Por ordem do Governo foi encerrada a Cantina Universitária, passando-se por cima do Sr. Reitor, das Associações e da Comissão Administrativa da dita Cantina.
Camiões da polícia, transportando centenas de polícias de choque, armados de pistolas metralhadoras, tomaram a Cidade Universitária. Tudo isto, para que lá se não realizassem os Colóquios e o jantar de confraternização do Dia do Estudante."
24 de Março de 2009
Ouvido na TSF no noticiário das 07,30h:
Questionado pela jornalista sobre as justificações da palavra de ordem de recusa às Avaliações Nacionais ("Exames Nacionais não queremos nunca mais"), o Dirigente da Escola Emídio Navarro de Almada elencou várias. Destaco as duas primeiras que referiu:
- A minha mãe não fez Exames Nacionais...
- A professora de História também não fez Exames Nacionais......

8 comentários:

vaandando disse...

Desafios diferentes, no entanto, humilhante para a dita democracia !
____________ JRMARTO

vaandando disse...

Ah, compreendi melhor , trata-se da força dos exemplos(...)

__________ JRMARTO

clara disse...

Sucedâneos...

Paulo disse...

...ou a "adolescentocracia" que instituímos como organização social.

vaandando disse...

Eheh lá!!! Não quero ir por aí...
As mães , as professoras , as mulheres, conjuntamente com o saber da história sempre foram forças revolucionárias, não sei, digo eu .... Tenho de consultar o Boaventura para ler com código certo estas pós-modernidades!
_______ JRMARTO

Paulo disse...

... há aqui evidentes traços de rutura. Antes as mães davam correctivos aos filhos, se eles não atingiam os "objectivos". Agora,numa clara fractura, dão estaladas às professoras se os filhos falham os ditos ("objectivos"). Se isto não é pós moderno...

vaandando disse...

Há-de de tudo , mas não creio que nenhum partido político da oposição está claro ,deixasse o jovem dizer , o que disse ... O jovem reinvindicar-se-ia de outras pertenças? Só estou a tentar ler isto simbolicamente no meu fraco quadro de pós_modernidade !
________ JRMARTo

clara disse...

O problema, quanto a mim, reside na ausência de objectivos,a não ser o consumismo, a ascensão social a todo o custo e, mais perto, a sobrevivência, tout court.
A doutorice sem esforço, a sociedade hedonista-tudo o que não eram os nossos valores.
O nosso objectivo era mudar o mundo, o objectivo "deles" é encaixar-se no mundo.
Salvo alguns ecologistas sinceros que já são filhos de doutores.