17 abril 2009

17Abril1969

6 comentários:

clara disse...

Ainda bem que lembras esta data! Foi um tempo glorioso.
Quando vejo as fotos, nem acredito como foi possível-éramos uns miúdos!

Humildevaidade disse...

Eu emociono-me sempre com imagens deste tempo, DESTES ESTUDANTES... fico feliz pelo que conseguiram e invejosa, sinto-me uma inútil, sem causas... parabéns a todos os que participaram! Hoje é por vós que posso ser uma pequena rebelde...

clara disse...

Éramos uns miúdos unidos contra um regime moribundo e anacrónico. Unidos contra o espectro da guerra.
Hoje fico espantada com a lucidez que tínhamos-éramos cultos, íamos ler e comentar livros para o café, não estávamos contaminados pelo consumismo, nem precisávamos de drogas.
Tínhamos um objectivo muito forte,
Hoje é bem mais difícil, a juventude luta pela sobrevivência.

branca5 disse...

encontrei esta perola num blog,onde gosto de passar o olho.

Esta gente/Essa gente
O que é preciso é gente
gente com dente
gente que tenha dente
que mostre o dente

Gente que não seja decente
nem docente
nem docemente
nem delicodocemente

Gente com mente
com sã mente
que sinta que não mente
que sinta o dente são e a mente

Gente que enterre o dente
que fira de unha e dente
e mostre o dente potente
ao prepotente

O que é preciso é gente
que atire fora com essa gente

Essa gente dominada por essa gente
não sente como a gente
não quer
ser dominada por gente

NENHUMA?
A gente
só é dominada por essa gente
quando não sabe que é gente.

ANA HATHERLY
Ana Haterly nasceu em 1929,com o espirito muito aberto ,foi escritora,artista plástica muito viu e muito viveu.
Foi escrito há 80 anos, mas continua actualizadissimo.

Marta disse...

Pois...eu ainda haveria de ser uma miúda;)

Humildevaidade disse...

C., agradeço o comentário e a visita ao meu blogue.
A minha questão é que olho para "os meus iguais" para a minha geração e sinto-me tão distante deles.
Nos três anos que estive na univ, conheci muitas pessoas, muitas mesmo, algumas com a audácia de perguntar em plena aula "mas afinal o Marx era capitalista, não era?"...só com 4 passei noites inteiras a pensar o presente e o futuro, a "tertuliar", a discutir personalidades, obras literárias, feitos, achados... a apontar o dedo e magicar soluções para o que achávamos que estava mal, enfim, não importa.
Invejo-vos e agradeço-vos para sempre. Acho que as causas, actualmente, são egocêntricas é a tal sobrevivência, como referiu, apesar de tentarmos todos sobreviver no MESMO país, com as MESMAS dificuldades, andamos todos distraídos com brinquedinhos burgueses comprados a crédito... este comentário vai longo, desculpem.

Obrigada pelo comentário elogioso que deixou... e este vosso blogue é para mim uma aprendizagem constante.

*obrigada também pela Clarice Lispector, não conhecia...