01 abril 2009

K.au poteau

Choro por ti,Checoslováquia,
caminhos de assombros,
encruzilhada de medos
terra calcada por todos os ditadores do Erro,
chave da Europa à mercê dos ladrões!
Que culpa terás de ser mais evoluída?!
de teres a capitação de 1200 dolares,
e, a URSS, a de 980 apenas?...
Choro por ti, Checoslováquia,
irmã gémea e lutuosa do Vietename-
os dois pinhais de Azambuja!
Meu amigo Zdenek.
que traduziste o Camões e o Eça,
e vieste ao meu encontro numa rua de Aveiro,
só porque tinhas lá longe,
um mau retrato meu!-
Que posso fazer pelos teus?!
Choro por ti Checoslováquia,
vítima da cupidez nazista
e dos seus post-justiceiros,-os filisteus estalineptos!
Se tiver de morrer "errado",
morrerei como tu, Checoslováquia,
socialista socialienado!...
Foram cem os erros(já) do socialismo!
Fossem cem mil-e socialistas seríamos!
Choro por ti, Checoslováquia:
manda que o faça o futuro,
exige que o reprima o presente,
-ironia trágica e pútrida!
Escarro vivo
de cintilantes sóis.
noite gelada
de rumorosa manhã...
Fátuo ser!
Poteau...
K!

Mário Sacramento, 1968

4 comentários:

Paulo disse...

A manifestação radical de um homem livre.
Obrigado, Clara. Bem hajas por nos teres dado a conhecer este poema.

José Caseiro /Mª Alice Silva disse...

"Façam um Mundo melhor! Não me obriguem a voltar cá!" ( - Como esquecer Mário Sacramento?)

vaandando disse...

.... um poema muito bonito...
gostei de o ler em voz alta...
Abraço
_______ JRMARTO

Manuel Carvalho disse...

Clara
Já o tinha lembrado em 2007, em http://deaveiroeportugal.blogspot.com/2007/08/checoslovquia-20-de-agosto-de-1968.html
com uma breve explicação do título.
Um abraço